Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Berindeira Doce

Um blog que retrata uma vida (a minha) perfeita no meio de tanta imperfeição, entre desejos, sonhos, projectos e a realidade!

A Berindeira Doce

Um blog que retrata uma vida (a minha) perfeita no meio de tanta imperfeição, entre desejos, sonhos, projectos e a realidade!

O acordar

 Eu gostava muito de acordar bem disposta, com imensa vontade de falar e de bem com a vida, de acordar com a alegria de que é um novo dia para aproveitar, mas não acordo!

Acordo, levanto-me, normalmente digo "Bom dia amor" e vou-me despachar sem grandes conversas, costumo dizer que funciono em modo automático e só começo mesmo a tagarelar depois de um bom bocado e de um café.

Quando estamos só os dois isto funciona bem, até porque o H. já sabe e nunca puxa muito por mim, o que eu agradeço porque assim não começo o dia a dar respostas tortas, digamos que, no geral, os adultos que me rodeiam já sabem por isso nunca há grandes conversas de manhã, os da minha casa (de solteira) limitam-se ao bom dia, e os da casa do H. ao Dormis-te bem?

O problema? O problema são as crianças com muita necessidade de se expressar ao acordar, Oh Meu Deus, é nestes dias que tenho dúvidas se tenho paciência para ser mãe e que peço que o meu(s) filho(s) sejam como eu, ou então terei de acordar todos os dias mais cedo para ai uma hora para já estar a carborar quando eles acordarem. Eu tento manter a boa disposição e pensar que são só crianças, mas depois de 5 cala-te e despacha-te, passo-me.

Lembro-me de ter sido sempre assim, nunca me lembro de ter grandes conversas de manhã, nem quando ia para a escola, sei que me levantava, despachava-me, bebia o galão e ia de mão dada até à escola com a minha mãe, só quando voltava ao almoço é que ficava de roda dela a conversar, enquanto ela se tentava despachar a servir os almoços do restaurante.

Curioso foi que hoje quando cheguei ao trabalho, comecei a falar com a minha prima e ela vinha fula porque diz que o marido acorda com uma energia inesgotável, começa logo a falar e a dizer para ela se levantar, para aproveitar o dia, etc. Depois da minha manhã, respondi-lhe: Como te percebo, será que custa muito ficarem calados? Começamo-nos a rir e chegamos à conclusão que é de família, só pode!